De Chico Buarque a Dom Orani: moradores de Paquetá ganham apoio contra mudança nas barcas; veja vídeo

Artistas, moradores e religiosos gravam depoimentos para campanha Respeita Paquetá

Giselle Ouchana

21/01/2020 – 20:29
/ Atualizado em 21/01/2020 – 21:50

Moradores fizeram protesto em frente ao Palácio Guanabara nesta terça-feira Foto: Agência O Globo
Moradores fizeram protesto em frente ao Palácio Guanabara nesta terça-feira Foto: Agência O Globo

RIO — A mobilização de moradores de Paquetá contra a redução da grade de horários da linha que liga a ilha até a Praça Quinze, no Centro do Rio, ganhou um reforço de peso. Ex-moradores e frequentadores da região, incluindo celebridades, iniciaram uma corrente contra a decisão judicial que deu aval à Concessionária Barcas SA de reduzir 11 viagens nos fins de semana e cinco nos dias úteis.

O compositor e cantor Chico Buarque, que tem irmã e sobrinhos entre os residentes, também gravou uma mensagem de apoio e pediu que a decisão judicial seja revertida:

— Quem mora em Paquetá e precisa ir à cidade diariamente para trabalhar, estudar ou para algum atendimento médico vai ter sua vida extremamente dificultada. Nos fins de semana, quando o turismo é grande na ilha, resolveram reduzir pela metade o número de barcas, fazendo com que às vezes haja um intervalo de cinco horas entre uma viagem e outra. É preciso reverter esta situação.

MANIFESTAÇÃO: Moradores de Paquetá protestam no Palácio Guanabara contra redução de horários das barcas

A atriz Isabela Garcia, que passou a infância em Paquetá e costuma frequentar a região com a família, fez um apelo também em vídeo.

— A mudança de horário que está prevista vai impossibilitar o vaivém das pessoas. Eu falo como quem ama a ilha de Paquetá. Não façam isso. Vamos deixar esse horário cada vez melhor.

Para a atriz Angela Vieira, o turismo, principal fonte de renda do local, vai ser diretamente impactado.

— Esses horários foram reduzidos prejudicando muito a vida dos moradores que trabalham e estudam fora da ilha, sem contar o enorme prejuízo que isso traz à principal fonte de renda da ilha, que é o turismo. Intervalos entre uma barca e outra chegam a ser de cinco horas. Isso realmente vai afetar de uma forma muito, muito dramática o funcionamento da ilha.

Atriz Bete Mendes, que revelou sua paixão por Paquetá em um vídeo, disse ser frequentadora da ilha e fez um firme apelo.

— Sou apaixonada pela Ilha de Paquetá, tenho muitos amigos lá. Volta e meia estou indo para Paquetá, mas agora eu não posso ir a qualquer momento, porque as barcas estão interrompendo o seu horário contínuo. O que é isso? — questionou. — E os meus amigos que vivem lá e precisam vir ao Rio? Ou os que vivem lá e trabalham aqui? Ou os que moram no Rio e trabalham lá? Estão prejudicando Paquetá e muita gente. Por favor, que as barcas voltem aos horários normais.

No último sábado, o Cardeal Dom Orani Tempesta visitou a ilha para celebrar uma missa na Paróquia Bom Jesus do Monte, às 15h, e participar de uma procissão como parte da programação da Trezena de São Sebastião. Na volta, o arcebispo do Rio e sua equipe chegaram atrasados na estação. Ele conseguiu embarcar, mas a comitiva, incluindo a imagem do padroeiro, perdeu a embarcação e precisou esperar cerca de uma hora e meia.

Com as mudanças previstas, a espera seria de cinco horas. A pedido dos organizadores da página Respeita Paquetá, Dom Orani gravou um vídeo onde pede mais consideração pelos moradores da ilha. Durante a viagem, o religioso chegou a encontrar um bloco de carnaval que também estava indo a Paquetá protestar.

— Paquetá merece toda consideração. É um lugar que, além de turismo tem grandes moradores que rpecisam ter o direito de ir e vir e a concessionária precisa providenciar para que tenha todos os horários necessários. Acho que tem que pensar no povo que assim necessitam — disse o arcebispo no vídeo.

Uma das fundadoras do Bloco Pérola da Guanabara, que nasceu na ilha, acrescenta que, com a nova grade de horários, muitas pessoas serão impactadas.

— Eles estão colocando um horário de barcas impossível de permitir que as coisas aconteçam em Paquetá. De forma muito perversa, estão exterminando Paquetá.

O compositor Claudio Jorge prestou solidariedade aos moradores e visitantes.

— A concessionária que presta o serviço de barcas está querendo diminuir o número de viagens, dificultando o acesso das pessoas que moraram lá e que para lá vão, principalmente nos fins de semana para curtir o turismo. Paquetá da Pedra de Moreninha, Paquetá da Casa de José Bonifácio, Paquetá do Luar de Paquetá não merece essa falta de respeito.

Secretaria de Transporte diz que vai marcar nova reunião até sexta-feira   

Em nota, a CCR Barcas informa que a medida visa à “melhoria da eficiência operacional com o objetivo de adequar a oferta à demanda nas linhas”. A concessionária ressalta também que os novos horários foram negociados em audiência especial. “Até 17 de janeiro, prazo determinado pela Justiça para a apresentação de possíveis ajustes na grade de horários, não houve manifestação legal por parte dos envolvidos”.

Já a secretaria de Transportes afirmou que até a próxima sexta-feira, um dia antes do início dos novos horários, ocorrerá uma nova reunião para dar prosseguimentos às discussões, principalmente sobre a grade de horários do fim de semana. Segundo a Setrans, a nova grade foi elaborada após reunião com moradores de Paquetá, Defensoria Pública e concessionária para buscar uma alternativa que gerasse o menor impacto aos usuários.

A secretaria ainda diz em nota que “o contrato de concessão do sistema aquaviário apresenta forte desequilíbrio econômico-financeiro, já reconhecido pela Justiça. Um dos problemas enfrentados pela CCR Barcas é a queda no número de passageiros decorrente da ausência de conexões dos ônibus com as barcas, no Centro do Rio, depois que o mergulhão e a perimetral foram desativados.”

Defensoria Pública vai recorrer da decisão que muda horários das barcas

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DPRJ) vai recorrer da decisão que determina a alteração no horário das barcas (de Paquetá e Cocotá) a partir do próximo sábado (25).  À disposição das partes para acordo, a DPRJ quer a suspensão imediata da alteração nas barcas conforme requerido à Justiça no dia 7 de janeiro.

Conforme lembrado em nota da Defensoria, as mudanças nas barcas foram anunciadas pela concessionária em 23 de dezembro para as linhas de Paquetá e Cocotá. “Prevendo a triangulação no trajeto Paquetá-Praça XV com parada em Cocotá, a mudança seria implementada já no dia 30 de dezembro, elevando o tempo de travessia de 50 minutos para 1h40min (de manhã e à noite) e inviabilizando o funcionamento de diversas atividades e serviços públicos essenciais na Ilha, como escolas e hospitais. Nos fins de semana, a modificação era ainda mais drástica, com redução de 24 viagens para 12.”

A nota ressalta também a falta de diálogo com os moradores. “As alterações já vinham sendo discutidas entre a CCR Barcas e o Estado do Rio, em ação de Rescisão da Concessão, sem que os moradores tivessem sido ouvidos ou tomassem conhecimento das negociações. Após contato permanente com o Estado e a Agetransp, as alterações foram adiadas para o dia 8 de janeiro e depois para o dia 15.”

Read More

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui